Banner Sky
Domingo, 26 Março 2017 21:09

Ferroviário elimina Horizonte nos pênaltis e, após 7 anos, está de volta às semifinais do Cearense Destaque

Escrito por 
Avalie este item
(20 votos)
Ferroviário suporta pressão do Horizonte, vence nos pênaltis, vai às semifinais e assegura vaga na Série D do Brasileiro 2018. Ferroviário suporta pressão do Horizonte, vence nos pênaltis, vai às semifinais e assegura vaga na Série D do Brasileiro 2018. Foto: JL Rosa

Horizonte e Ferroviário fizeram seu terceiro jogo consecutivo ao longo do mês. Na tarde deste domingo (26), às 16h, Leandro Campos e Vladimir de Jesus adotaram posturas diferentes. Enquanto o treinador do Galo do Tabuleiro levou a campo a formação base já conhecida, o comandante do Tubarão da Barra iniciou com Assisinho, e o artilheiro coral, Máxuell, no banco de reservas. As equipes que haviam empatado a primeira partida das quartas de final por 1 a 1 repetiram o placar no jogo da volta e a classificação do Ferroviário foi alcançada nas sempre dramáticas cobranças de penalidades. Além disso, com a classificação do Fortaleza diante do Tiradentes, o Clube Coral assegurou vaga na Série D do Campeonato Brasileiro 2018.

Curiosidade

O Ferroviário não chegava nas semifinais do estadual desde 2009, quando enfrentou o Guarany de Sobral. Já o Horizonte chegou pela última vez nas semifinais do Cearense em 2012, quando teve como adversário o Fortaleza.

O JOGO

As equipes iniciaram a partida buscando inaugurar o placar o quanto antes. Logo aos 9´ de jogo, a bola sobrou para o lateral-esquerdo Berg na entrada da área, destro que é, ele arrumou e finalizou de direita, Mauro não conseguiu interceptar e o Galo já estava na frente. Contudo, tal vantagem duraria pouquíssimo tempo, pois, em lance despretensioso, Jonathas arriscou de muito longe, a bola quicou na frente de Fábio Lima e o goleiro foi batido pelo famoso “morrinho artilheiro”, uma ironia do destino com alguém que conhece tão bem o terreno de jogo.  

Aos 17´, o volante Franklin, que era dúvida para o jogo, voltou a sentir a coxa esquerda e deu lugar a Caio Acaraú. Aos 23´, César Sampaio e Isac, ambos do Horizonte, levaram cartões amarelos por reclamações. A equipe da casa voltaria a assustar com Felipe, ao acertar a trave de Mauro. O jogador horizontino teve espaço para dominar, cortar para a direita e finalizar no poste do goleiro coral.

Aos 29´ o goleiro Fábio Lima se redimiu da falha no gol ao efetuar defesa difícil num tirambaço do lateral Batata. A bola foi para escanteio. Aos 35´, novamente Fábio Lima apareceu realizando uma importante defesa. Dessa vez, Mimi soltou o pé de longe e o goleiro do Galo do Tabuleiro espalmou para o lado. Aos 37´, em mais uma boa chegada da equipe mandante com Felipe, o jogador finalizou cruzado de fora da área para boa intervenção do arqueiro Mauro, do Tubarão da Barra.

No finalzinho da primeira etapa, aos 41´, o lance que gerou muita reclamação por parte dos donos da casa. Em bola longa do zagueiro Fredson para Isac, o atacante tentou cruzar para trás, mas Erandir estava com o braço direito aberto e a bola foi ao seu encontro. Tendo intenção ou não, fato é que a penalidade não foi marcada pela arbitragem. O árbitro deu quatro minutos de acréscimos e, portanto, encerrou o primeiro tempo aos 49 minutos.

Na volta para a etapa final, Vladimir de Jesus promoveu a entrada de Tony Belém no lugar do experiente Erandir. Além disso, a equipe coral voltou de roupa nova. O tradicional uniforme deu lugar a camisas brancas, calções pretos e meias pretas. Não sabe-se se por superstição, ou os uniformes utilizados na primeira etapa estavam muito sujos. Já o Horizonte não realizou nenhuma mexida. O treinador Leandro Campos apenas orientou seus atletas para que procurassem as laterais do campo visando desafogar o jogo até então concentrado no meio. Aos 10´ da etapa complementar mais uma bola trave, mais uma do Horizonte, equipe que desde o primeiro jogo procurava fazer o resultado. No lance, Marciano cabeceou no poste de Mauro e, na sobra, Isac não conseguiu finalizar para as redes. 

Aos 18´ do segundo tempo, o Ferroviário realizou mais uma mexida. Vladimir colocou Assisinho no lugar de Valdeci, o aniversariante do dia, mas que realizava uma partida bastante discreta. Dois minutos depois, ou seja, aos 20´, Assisinho finalizou com muito perigo e o goleiro Fábio Lima, imóvel, apenas torceu para que a bola fosse para fora. Foi a primeira grande chegada do Ferroviário na etapa final.Dez minutos mais tarde foi a vez de o Horizonte levar perigo. Em cobrança de falta da direita de Doda, Isac furou a cabeçada. O artilheiro da equipe mandante no certame com 5 gols assinalados passaria em branco na jornada decisiva.

A partir daí o desenrolar do jogo ficou prejudicado pelas inúmeras faltas cometidas por ambas as equipes. Muitos cartões distribuídos, jogo travado a todo momento. Somente aos 40´, quando Caio Acaraú carregou a bola pela direita, penetrou na grande área e fuzilou para Mauro espalmar em escanteio, que ocorreu novamente uma chance de real perigo. Também no minuto quarenta, Máxuell, o artilheiro coral no estadual com 6 tentos marcados, entrou no lugar de Mota, que saiu exausto fisicamente. Entretanto, a partida seguiria arrastada, com os times cansados mental e fisicamente. Aos 42´, ainda daria tempo para o lateral Batata receber o segundo amarelo e, consequentemente, ser expulso. O árbitro deu 4 minutos de acréscimos e encerrou a partida.

O Horizonte, que havia sido superior tanto na partida de ida como na partida de volta, teria de enfrentar as penalidades para saber se avançaria na competição. O Ferroviário, por sua vez, contava com Assisinho e Máxuell para cobrarem as duas primeiras penalidades corais.

Decisão nos pênaltis

Costumeiramente, diz-se que “pênalti é loteria”. Todavia, a escolha do Tubarão da Barra em abrir as cobranças alternadas com jogadores como Assisinho e Máxuell mostra que a estratégia para qualquer situação deve ser minuciosamente pensada e bem treinada. Nas penalidades, os comandados de Vladimir de Jesus executaram com muita tranquilidade todas as suas cobranças, deslocando em todas elas o goleiro Fábio Lima. Assisinho, Máxuell, Jonathas e Vitinho converteram, ao passo que - embora César Sampaio e Canga tenham sido eficientes em suas cobranças para o Galo do Tabuleiro - Robert isolou, e Doda parou no goleiro Mauro.

Clássico das Cores e vaga na Série D

Agora, Ferroviário e Fortaleza farão o tradicional “Clássico das Cores” nas semifinais do Campeonato Cearense 2017. A primeira partida, em nova atualização da Federação Cearense de Futebol (FCF), será realizada já neste domingo, dia 2 de abril, às 16h, na Arena Castelão. O segundo duelo entre as equipes ocorrerá no domingo seguinte, ou seja, dia 9 de abril, também às 16h, na Arena Castelão. Caso haja necessidade de mais um enfrentamento, a terceira e decisiva partida acontecerá em uma quarta-feira, dia 19 de abril, às 21h45, também na Arena Castelão.  

FICHA TÉCNICA:

Horizonte 1 (2 x 4) 1 Ferroviário

Local: Domingão

Data: 26/03/2017

Horário: 16h

HORIZONTE: Fábio Lima, Robert, Fredson, Marciano e Berg (Fabinho); Franklin (Caio Acaraú), César Sampaio, Felipe e Doda; Isac e Canga

Técnico: Leandro Campos

FERROVIÁRIO: Mauro, Batata, Erandir (Tony Belém), Túlio e Jeanderson; Jonathas, Glauber e Valdeci (Assisinho); Vitinho, Mota (Máxuell) e Mimi

Técnico: Vladimir de Jesus

GOLS: Berg (Horizonte, aos 9´ do 1º T); Jonathas (Ferroviário, aos 14´ do 1ºT)

CARTÕES AMARELOS: César Sampaio (Horizonte), Isac (Horizonte), Berg (Horizonte), Felipe (Horizonte); Batata (Ferroviário), Jeanderson (Ferroviário), Túlio (Ferroviário)

CARTÃO VERMELHO: Batata (Ferroviário)

Árbitro: Glauco Feitosa (CBF)

Assistente 1: Nailton Oliveira (CBF)

Assistente 2: Ramon Machado (FCF)

4º árbitro: Carlos Custódio (FCF)

Renda: R$ 12.864,71

Público Total: 2.391 pessoas

 

Lido 249 vezes Última modificação em Segunda, 27 Março 2017 20:16
Banner Sky