Banner Sky
Paulo Ayrton

Paulo Ayrton

Horizonte e Ferroviário fizeram seu terceiro jogo consecutivo ao longo do mês. Na tarde deste domingo (26), às 16h, Leandro Campos e Vladimir de Jesus adotaram posturas diferentes. Enquanto o treinador do Galo do Tabuleiro levou a campo a formação base já conhecida, o comandante do Tubarão da Barra iniciou com Assisinho, e o artilheiro coral, Máxuell, no banco de reservas. As equipes que haviam empatado a primeira partida das quartas de final por 1 a 1 repetiram o placar no jogo da volta e a classificação do Ferroviário foi alcançada nas sempre dramáticas cobranças de penalidades. Além disso, com a classificação do Fortaleza diante do Tiradentes, o Clube Coral assegurou vaga na Série D do Campeonato Brasileiro 2018.

Curiosidade

O Ferroviário não chegava nas semifinais do estadual desde 2009, quando enfrentou o Guarany de Sobral. Já o Horizonte chegou pela última vez nas semifinais do Cearense em 2012, quando teve como adversário o Fortaleza.

O JOGO

As equipes iniciaram a partida buscando inaugurar o placar o quanto antes. Logo aos 9´ de jogo, a bola sobrou para o lateral-esquerdo Berg na entrada da área, destro que é, ele arrumou e finalizou de direita, Mauro não conseguiu interceptar e o Galo já estava na frente. Contudo, tal vantagem duraria pouquíssimo tempo, pois, em lance despretensioso, Jonathas arriscou de muito longe, a bola quicou na frente de Fábio Lima e o goleiro foi batido pelo famoso “morrinho artilheiro”, uma ironia do destino com alguém que conhece tão bem o terreno de jogo.  

Aos 17´, o volante Franklin, que era dúvida para o jogo, voltou a sentir a coxa esquerda e deu lugar a Caio Acaraú. Aos 23´, César Sampaio e Isac, ambos do Horizonte, levaram cartões amarelos por reclamações. A equipe da casa voltaria a assustar com Felipe, ao acertar a trave de Mauro. O jogador horizontino teve espaço para dominar, cortar para a direita e finalizar no poste do goleiro coral.

Aos 29´ o goleiro Fábio Lima se redimiu da falha no gol ao efetuar defesa difícil num tirambaço do lateral Batata. A bola foi para escanteio. Aos 35´, novamente Fábio Lima apareceu realizando uma importante defesa. Dessa vez, Mimi soltou o pé de longe e o goleiro do Galo do Tabuleiro espalmou para o lado. Aos 37´, em mais uma boa chegada da equipe mandante com Felipe, o jogador finalizou cruzado de fora da área para boa intervenção do arqueiro Mauro, do Tubarão da Barra.

No finalzinho da primeira etapa, aos 41´, o lance que gerou muita reclamação por parte dos donos da casa. Em bola longa do zagueiro Fredson para Isac, o atacante tentou cruzar para trás, mas Erandir estava com o braço direito aberto e a bola foi ao seu encontro. Tendo intenção ou não, fato é que a penalidade não foi marcada pela arbitragem. O árbitro deu quatro minutos de acréscimos e, portanto, encerrou o primeiro tempo aos 49 minutos.

Na volta para a etapa final, Vladimir de Jesus promoveu a entrada de Tony Belém no lugar do experiente Erandir. Além disso, a equipe coral voltou de roupa nova. O tradicional uniforme deu lugar a camisas brancas, calções pretos e meias pretas. Não sabe-se se por superstição, ou os uniformes utilizados na primeira etapa estavam muito sujos. Já o Horizonte não realizou nenhuma mexida. O treinador Leandro Campos apenas orientou seus atletas para que procurassem as laterais do campo visando desafogar o jogo até então concentrado no meio. Aos 10´ da etapa complementar mais uma bola trave, mais uma do Horizonte, equipe que desde o primeiro jogo procurava fazer o resultado. No lance, Marciano cabeceou no poste de Mauro e, na sobra, Isac não conseguiu finalizar para as redes. 

Aos 18´ do segundo tempo, o Ferroviário realizou mais uma mexida. Vladimir colocou Assisinho no lugar de Valdeci, o aniversariante do dia, mas que realizava uma partida bastante discreta. Dois minutos depois, ou seja, aos 20´, Assisinho finalizou com muito perigo e o goleiro Fábio Lima, imóvel, apenas torceu para que a bola fosse para fora. Foi a primeira grande chegada do Ferroviário na etapa final.Dez minutos mais tarde foi a vez de o Horizonte levar perigo. Em cobrança de falta da direita de Doda, Isac furou a cabeçada. O artilheiro da equipe mandante no certame com 5 gols assinalados passaria em branco na jornada decisiva.

A partir daí o desenrolar do jogo ficou prejudicado pelas inúmeras faltas cometidas por ambas as equipes. Muitos cartões distribuídos, jogo travado a todo momento. Somente aos 40´, quando Caio Acaraú carregou a bola pela direita, penetrou na grande área e fuzilou para Mauro espalmar em escanteio, que ocorreu novamente uma chance de real perigo. Também no minuto quarenta, Máxuell, o artilheiro coral no estadual com 6 tentos marcados, entrou no lugar de Mota, que saiu exausto fisicamente. Entretanto, a partida seguiria arrastada, com os times cansados mental e fisicamente. Aos 42´, ainda daria tempo para o lateral Batata receber o segundo amarelo e, consequentemente, ser expulso. O árbitro deu 4 minutos de acréscimos e encerrou a partida.

O Horizonte, que havia sido superior tanto na partida de ida como na partida de volta, teria de enfrentar as penalidades para saber se avançaria na competição. O Ferroviário, por sua vez, contava com Assisinho e Máxuell para cobrarem as duas primeiras penalidades corais.

Decisão nos pênaltis

Costumeiramente, diz-se que “pênalti é loteria”. Todavia, a escolha do Tubarão da Barra em abrir as cobranças alternadas com jogadores como Assisinho e Máxuell mostra que a estratégia para qualquer situação deve ser minuciosamente pensada e bem treinada. Nas penalidades, os comandados de Vladimir de Jesus executaram com muita tranquilidade todas as suas cobranças, deslocando em todas elas o goleiro Fábio Lima. Assisinho, Máxuell, Jonathas e Vitinho converteram, ao passo que - embora César Sampaio e Canga tenham sido eficientes em suas cobranças para o Galo do Tabuleiro - Robert isolou, e Doda parou no goleiro Mauro.

Clássico das Cores e vaga na Série D

Agora, Ferroviário e Fortaleza farão o tradicional “Clássico das Cores” nas semifinais do Campeonato Cearense 2017. A primeira partida, em nova atualização da Federação Cearense de Futebol (FCF), será realizada já neste domingo, dia 2 de abril, às 16h, na Arena Castelão. O segundo duelo entre as equipes ocorrerá no domingo seguinte, ou seja, dia 9 de abril, também às 16h, na Arena Castelão. Caso haja necessidade de mais um enfrentamento, a terceira e decisiva partida acontecerá em uma quarta-feira, dia 19 de abril, às 21h45, também na Arena Castelão.  

FICHA TÉCNICA:

Horizonte 1 (2 x 4) 1 Ferroviário

Local: Domingão

Data: 26/03/2017

Horário: 16h

HORIZONTE: Fábio Lima, Robert, Fredson, Marciano e Berg (Fabinho); Franklin (Caio Acaraú), César Sampaio, Felipe e Doda; Isac e Canga

Técnico: Leandro Campos

FERROVIÁRIO: Mauro, Batata, Erandir (Tony Belém), Túlio e Jeanderson; Jonathas, Glauber e Valdeci (Assisinho); Vitinho, Mota (Máxuell) e Mimi

Técnico: Vladimir de Jesus

GOLS: Berg (Horizonte, aos 9´ do 1º T); Jonathas (Ferroviário, aos 14´ do 1ºT)

CARTÕES AMARELOS: César Sampaio (Horizonte), Isac (Horizonte), Berg (Horizonte), Felipe (Horizonte); Batata (Ferroviário), Jeanderson (Ferroviário), Túlio (Ferroviário)

CARTÃO VERMELHO: Batata (Ferroviário)

Árbitro: Glauco Feitosa (CBF)

Assistente 1: Nailton Oliveira (CBF)

Assistente 2: Ramon Machado (FCF)

4º árbitro: Carlos Custódio (FCF)

Renda: R$ 12.864,71

Público Total: 2.391 pessoas

 

Na tarde deste sábado (18), no estádio Domingão, Maranguape e Guarani de Juazeiro terminaram iguais no placar, com um gol para cada lado, em partida de ida válida pelas quartas-de-finais do Campeonato Cearense.

As equipes fizeram um primeiro tempo bastante movimentado, tendo as principais chances de gols nos pés de jogadores do Maranguape. A primeira foi evidenciada quando Harrisson tocou a bola para Gugu parar em boa defesa do goleiro Léo. Minutos depois foi a vez do lateral Emerson cruzar na medida para Adilson cabecear para mais uma boa intervenção do arqueiro do Guaraju. No entanto, o placar não saiu do zero nos 45 minutos iniciais.

Na volta para o 2º tempo, o que se viu foram os principais jogadores de cada lado, ou seja, Gugu pelo Gavião da Serra, e Leilson pelo Leão do Mercado tentarem movimentar o placar. Até que, aos 26 minutos da etapa complementar, em contra-ataque bem tramado, Leilson recebeu a bola em velocidade e tocou no cantinho do goleiro Buqueirão. Aos 38´, novamente Leilson teve a chance de fazer o segundo gol para o time de Juazeiro do Norte, mas acabou desperdiçando a ótima oportunidade.

E é aquela velha máxima do futebol: Quem não faz, leva! Não deu outra. Aos 44 minutos do 2º tempo, no apagar das luzes, o zagueiro Jair apareceu no ataque para igualar o marcador e evitar a derrota do Gavião da Serra nos primeiros 90 minutos dessa decisão que só termina quarta-feira.

Após a partida, Regineldo falou suas impressões sobre o resultado. “Nossa pretensão era a vitória. Mas infelizmente acabamos sofrendo o empate. Em casa vamos buscar a vaga”, sacramentou o zagueiro.

Artilharia

Com o gol marcado diante do Gavião da Serra, o baixinho Leilson agora é o artilheiro isolado da competição. São 9 gols marcados. No entanto, seu concorrente mais próximo, Edson Cariús, com 8 gols no certame, ainda fará a primeira partida pelas quartas-de-finais neste domingo, quando o Uniclinic mede forças com o Ceará.

Decisão em Juazeiro do Norte

A partida que definirá o primeiro semifinalista do estadual ocorrerá já na próxima quarta-feira (22), às 20h, no Romeirão. Quem vencer estará classificado. Caso o empate persista durante os 90 minutos, a definição da vaga será em cobranças de pênaltis. O vencedor desse duelo enfrentará nas semifinais do estadual quem passar de Ceará e Uniclinic, que farão a segunda e derradeira partida sábado que vem, dia 25/03, às 16h, na Arena Castelão.

FICHA TÉCNICA

Maranguape 1 x 1 Guarani de Juazeiro

Local: Domingão

Data: 18/03/2017

Horário: 16h

Árbitro: Wladyerisson Oliveira (FCF)

Assistente 1: Samuel Oliveira (CBF)

Assistente 2: Roberto Menezes (FCF)

4º árbitro: Alexandre Peixoto (FCF)

MARANGUAPE: Milton Buqueirão, Emerson, Jair, Albano e Elvis; Rafael Bizinga, Mateus (Adriano), Paulinho (Raphinha) e Harrisson (Cristiano); Gugu e Adilson

Técnico: Reginaldo França

GUARANI DE JUAZEIRO: Léo, Talisson, Regineldo, Pedro Lucas e Zé Aquiraz; Dim, Da Silva (Rafael Tchuca) e Adenilson; Leilson, Ítalo (Roberto Jacaré) e Ronda (Luís Gustavo)

Técnico: Washington Luiz

GOLS: Leílson (GJU); Jair (MAR)

CARTÕES AMARELOS: Albano (MAR), Cristiano (MAR) e Adriano (MAR); Talisson (GJU) e Pedro Lucas (GJU)

Renda: R$ 1.488,00

Público Não Pagante: 167 pessoas

Público Total: 350 pessoas

Após empatar com a equipe C do Grêmio pela Primeira Liga, o Ceará voltou a campo neste domingo (5), na Arena Castelão - a sexta partida em nove jogos no estadual - para encerrar sua participação na primeira fase do Campeonato Cearense. Tendo a primeira colocação assegurada por antecipação, o treinador Givanildo Oliveira resolveu mandar a campo uma formação inicial composta quase em sua totalidade por reservas. Contudo, o adversário do Vovô era o Uniclinic, time que ainda buscava fugir do rebaixamento e, consequentemente, selar classificação para as quartas de final do estadual. O time da Lagoa Redonda, já eliminado da Copa do Nordeste e em campanha fraca no Cearense, tinha nos pés do atacante Edson Cariús a principal esperança de gols no duelo.

O JOGO

Logo no começo da partida, aos 8´, Jerson enxergou Netinho infiltrando nas costas da marcação, deu o passe por elevação, e o atacante da Águia da Precabura finalizou para as redes na saída do estreante goleiro Lauro. Nove minutos mais tarde, ou seja, aos 17´, nova falha da defesa alvinegra, Lauro e o zagueiro Sandro ficaram indecisos no lance e a bola sobrou limpa para Edson Cariús, livre no segundo poste, empurrar para o barbante e chegar ao seu 8º gol no campeonato, igualando Leilson, do Guarani de Juazeiro, na artilharia do certame.

Em menos de vinte minutos já estava 2 a 0 para o Uniclinic. O Ceará, nesse momento da partida, se encontrava lento nas transições ofensivas e não oferecia perigo à meta do seu conhecido goleiro Dionathan. A primeira grande chegada do Alvinegro de Porangabuçu ocorreu aos 28´, quando o lateral direito Éverton Silva cruzou para Maxi Biancucchi cabecear pra fora.

Mas foi aos 40´ que o Ceará chegou com maior perigo. Lucas finalizou colocado da entrada da área para boa defesa de Dionathan, que mandou para escanteio. Aos 44´ foi a vez de Rafinha testar Dionathan, que, mais uma vez, impediu o tento alvinegro. Ainda deu tempo para triangulação ofensiva que terminou no passe de Biancucchi para o lateral Éverton Silva, entrando pela direita, finalizar prensado na marcação. Na sequência, o último lance da primeira etapa ficou nos pés de Edson Cariús ao avançar pela esquerda e finalizar na rede pelo lado de fora.

Embora o Ceará tenha reagido nos minutos finais do 1º tempo, os gols não haviam saído. Dessa forma, o treinador Givanildo Oliveira resolveu fazer duas mexidas no intervalo e colocou o meia Felipe Tontini e o atacante Victor Rangel nos lugares do volante Matheus Trindade e do atacante Rafinha, respectivamente. As alterações deram certo, especialmente a entrada de Tontini. Aos 7´, em cruzamento da direita de Maxi Biancucchi, Tontini cabeceou livre e quase abriu o placar para o Vovô. Três minutos depois, o meia revelado pelo Grêmio recebeu na esquerda, puxou pra dentro e soltou o balaço de fora da área que foi explodir na trave da Águia da Precabura. Aos 16´ outra bola na trave. Tontini cobrou falta na cabeça de Valdo e a bola não entrou por muito pouco. Uniclinic estava sendo encurralado pelo Ceará.  No entanto, o volume de jogo e as oportunidades criadas precisavam se traduzir em gols.

Aos 22´, o até então criticado lateral esquerdo Rafael Carioca, roubou a bola e encontrou Magno Alves livre dentro da área para fazer o primeiro gol do Alvinegro de Porangabuçu na partida. O Ceará controlava totalmente as ações e procurava empatar o quanto antes. Aos 32´, em novo cruzamento de Felipe Tontini para Valdo quase a igualdade no placar. A frustração foi tão grande que o zagueiro esmurrou o chão após perder o gol. 

O empate vinha amadurecendo e aconteceu aos 37´, quando Victor Rangel tentou dominar na coxa a bola cruzada da direita e acabou sobrando para Maxi Biancucchi finalizar de canhota no cantinho de Dionathan. Foi o primeiro gol do argentino com a camisa do Ceará. Aos 41´, em novo cruzamento da direita, a defesa da Águia da Precabura parou pedindo impedimento de Biancucchi, a arbitragem não assinalou nada, e o argentino cabeceou com muito perigo. Aos 45´, Rafael Carioca cruzou rasteiro e Magno Alves, bem posicionado, quase virou para o alvinegro. Porém, a partida terminou 2 a 2

Com o empate, o alvinegro chegou aos 20 pontos, terminou a primeira fase do Cearense na liderança isolada, com 6 vitórias, 2 empates e apenas 1 derrota(equipe com menos reveses sofridos). Foram 12 gols marcados e 5 sofridos(a defesa menos vazada ao lado do Fortaleza), ao passo que o Uniclinic alcançou os 9 pontos, escapou definitivamente do rebaixamento e terminou a fase classificatória na oitava posição, com 2 vitórias, 3 empates e 4 derrotas. O time da Lagoa Redonda marcou 13 gols e teve sua defesa vazada em 18 oportunidades. A Águia da Precabura não conquista um triunfo no estadual desde a quarta rodada, quando bateu o Itapipoca, time que mais tarde viria a ser o lanterna da competição e rebaixado.

MATA-MATA

Ceará (1º) e Uniclinic (8º) voltam a se enfrentar nas quartas de final do estadual, na Arena Castelão, dia 19 de março, às 16h, para o primeiro duelo da fase eliminatória da competição. A partida de volta entre as duas equipes ocorrerá na Arena Castelão, dia 25 de março, às 16h.

Antes disso, porém, a Águia da Precabura volta a campo dia 12 de março, às 16h, pela Copa do Nordeste, contra o Campinense, no estádio Amigão. O time da Lagoa Redonda é o lanterna do Grupo A, perdeu todas as partidas que disputou, não marcou nenhum gol e foi vazado 11 vezes. 

DEMAIS ENFRENTAMENTOS DAS QUARTAS DE FINAL

Fortaleza (2º) x Tiradentes (7º)

Ida: Arena Castelão, 15/03, às 21h45 / Volta: Arena Castelão, 26/03, às 18h30

Horizonte (3º) x Ferroviário (6º)

Ida: Arena Castelão, 12/03, às 16h / Volta: Domingão, 26/03, às 16h 

Guarani de Juazeiro (4º) x Maranguape (5º)

Ida: Domingão, 18/03, às 16h / Volta: Romeirão, 22/03, às 20h 

FICHA TÉCNICA

Uniclinic 2 x 2 Ceará

Local: Arena Castelão

Data: 05/03/2017

Horário: 16h

Árbitro: Avelar Rodrigo (CBF)

Assistente 1: Renan Aguiar (CBF)

Assistente 2: Ramon Machado (FCF)

4º árbitro: Leandro Martins (FCF)

UNICLINIC: Dionathan, João Neto (Lincon), Luiz Fernando, Airton Júnior e Anderson Sobral (Domingos); Guídio (Eusébio), Jerson e Vaninho; Moré, Edson Cariús e Netinho

Técnico: Anderson Batatais

CEARÁ: Lauro, Éverton Silva (Tiago Cametá), Sandro, Valdo e Rafael Carioca; Matheus Trindade (Felipe Tontini), Lucas e Felipe Menezes; Maxi Biancucchi, Magno Alves e Rafinha (Victor Rangel)

Técnico: Givanildo Oliveira

GOLS: Netinho (UNI), Edson Cariús (UNI); Magno Alves (CEA), Maxi Biancucchi (CEA)

CARTÕES AMARELOS: João Neto (UNI), Guídio (UNI), Jerson (UNI), Vaninho (UNI), Dionathan (UNI), Moré (UNI); Victor Rangel (CEA)

Público Pagante: 1.309

Não-Pagante: 140

Renda: R$ 6.620,00

Na tarde deste sábado de carnaval (25), na Arena Castelão, Tiradentes e Fortaleza se enfrentaram com objetivos opostos na competição. Enquanto o Tricolor procurava ainda ter chances de terminar a primeira fase na liderança, o Tigre da PM visava escapar definitivamente do rebaixamento, garantir classificação para as quartas de final do Campeonato Cearense e, por fim, encerrar o jejum de 21 anos sem vitórias diante do Fortaleza. A partida também marcava a estreia de Marquinhos Santos na competição estadual desde a sua volta. O treinador, que havia estreado diante do Moto Club, pela Copa do Nordeste, promoveu os retornos de Felipe e Vacaria à equipe titular. Foram sacados da formação inicial Gabriel Pereira e William Schuster. Pelo lado do Tiradentes, o treinador Danilo Augusto não poderia contar com o zagueiro Maceió. Henrique foi escolhido para substituí-lo.   

O JOGO

Início de partida se deu em ritmo lento. As ações ofensivas do Fortaleza se concentravam pelo lado direito; ora com Felipe, ora com Pablo. Aos 13´, até Gastón Filgueira apareceu pela direita e cruzou na cabeça de Ligger. O zagueiro não precisou sair do chão para obrigar Jhones a realizar a primeira grande defesa da tarde. Um minuto depois, foi a vez de Marcelo Boeck salvar o Leão. Diego foi avançando sem ser incomodado e soltou o pé. Aos 19´, Felipe tabelou com Zé Carlos e finalizou por cima. Em uma rara investida pela esquerda, Gastón cruzou rasteiro para Lúcio Flávio, mas Danilo deu um toquinho suficiente para evitar que a bola chegasse aos pés do atacante leonino. Até o final do primeiro tempo, o Fortaleza desperdiçaria boas oportunidades, sobretudo com Zé Carlos, que não foi o "Zé do Gol" nesta jornada.  

Aí veio o lance que pegaria a todos de surpresa: Em bola longa, Vacaria tentou cortar e acabou entrando na folia com Itaitinga. O atacante agradeceu o presente, progrediu com a bola dominada e resolveu tocar para um companheiro melhor colocado; porém, a bola bateu em Ligger e voltou para ele finalizar com Marcelo Boeck completamente vendido no lance. O Fortaleza, com esse gol sofrido, já deixaria de ser a melhor defesa da competição ao lado do Ceará. O Tricolor de Aço ainda chegaria em jogadas individuais de Pablo (pela direita) e Leandro Lima (pela esquerda), mas sem obter sucesso na hora de estufar as redes de Jhones. 

Veio o segundo tempo e, com ele, a saída de Vacaria para a entrada de Gabriel Pereira. Logo no minuto inicial, o árbitro deu cartão amarelo para Lúcio Flávio por tentar ludibriar a arbitragem e cavar pênalti. Aos 11´, mais uma vez, a defesa do Fortaleza entrou na folia com Itaitinga. Em bola vinda da esquerda, Gastón Filgueira tentou tirar de cabeça, acabou furando e sobrou limpa para Itaitinga finalizar de canhota no cantinho de Boeck. A bola ainda beijou a trave antes de entrar. O Tigre da PM estava pondo fim a um tabu que durava desde 1996.  

Diante do quadro adverso, o técnico Marquinhos Santos resolveu mexer na equipe e colocar o time todo pra frente. Wesley e Vinícius Baiano entram nos lugares de Felipe e Leandro Lima, respectivamente. O Fortaleza criou algumas chances, mas foi Itaitinga quem novamente levou dor de cabeça ao Tricolor de Aço. Já nos minutos finais, o atacante do Tigre da PM driblou Ligger, tocou a bola para Alan, que fintou o goleiro Boeck e rolou a pelota para as redes. Porém, Heitor estava bem colocado para evitar - em cima da linha - o terceiro gol.

O árbitro sinalizou 7 minutos de acréscimos. Ainda daria tempo para Itaitinga, pra variar, colocar entre as pernas de Heitor e fuzilar para boa defesa de Marcelo Boeck.

Fim de jogo e tabu findado. Enquanto o carnaval será de gosto amargo para o Tricolor do Pici, o Tiradentes afastou qualquer possibilidade de rebaixamento e selou classificação para a próxima fase. 

PRÓXIMOS JOGOS:

O Fortaleza, agora sem chances de alcançar a primeira colocação, enfrentará o rebaixado Itapipoca na última rodada. O Leão visa garantir o segundo lugar. A partida ocorrerá na Arena Castelão, dia 04/03, às 19h30. O Tiradentes, por sua vez, já com a classificação para as quartas assegurada, vai até o Junco medir forças com o desesperado Guarany de Sobral, dia 05/03, às 16h.

FICHA TÉCNICA

Tiradentes 2 x 0 Fortaleza

Local: Arena Castelão

Data: 25/02/2017

Horário: 16h30

TIRADENTES: Jhones; Eduardo, Henrique, Kelvin, Danilo (Lucas Neres); Michel, Diego, Nanin, Alan; Wilkson (André Fael) (Ernesto) e Itaitinga

Técnico: Danilo Augusto

FORTALEZA: Marcelo Boeck; Felipe (Wesley), Heitor, Ligger, Gastón Filgueira; Vacaria (Gabriel Pereira), Pablo, Jefferson, Leandro Lima (Vinícius Baiano); Lúcio Flávio e Zé Carlos

Técnico: Marquinhos Santos

CARTÕES AMARELOS: Zé Carlos (FEC), Lúcio Flávio (FEC); Danilo (TIR), Nanin (TIR)

GOLS: Itaitinga (2x)

Árbitro: Glauco Feitosa (CBF)

Assistente 1: Nailton Oliveira (CBF)

Assistente 2: Franco Weber (FCF)

4º árbitro: Renato Pinheiro (FCF)

Público pagante: 1.586

Público total: 1.762

Renda: R$ 5.492

A fim de manter a sua invencibilidade no Romeirão e se aproximar da liderança do estadual, na tarde deste domingo, o Guarani de Juazeiro recebeu o líder Ceará, que, por sua vez, procurava disparar na liderança e estancar a sangria após eliminação precoce na Copa do Brasil. Na partida válida pela sétima rodada, o treinador interino, Daniel Azambuja, embora tenha preservado a dupla de zaga titular composta por Rafael Pereira e Sandro, e o meia Felipe Tontini, promoveu a aguardada estreia do argentino Maxi Biancucchi, com passagens por Flamengo, Vitória, Bahia e também conhecido por ser o primo do Messi. Do outro lado, o Guarani de Juazeiro, com desfalques pontuais, depositava suas esperanças no artilheiro do campeonato, o baixinho Leilson.

O resultado foi a vitória do time da capital por 1 a 0. Com isso, o Vovô chega aos 19 pontos ganhos e se isola na liderança do estadual. Já o Guarani estaciona nos 11 pontos e cai para a quarta posição. 

O JOGO

A partida começou com o Ceará controlando as ações no meio-campo e acionando o lateral direito Tiago Cametá, como na jogada de linha de fundo que resultou em cruzamento para Magno Alves cabecear para fora. No entanto, aos 13 minutos da etapa inicial, Cametá falhou e a bola sobrou limpa para Ronda soltar o pé e parar em Éverson. Apesar do susto, foi a bola alvinegra que estufou as redes do Guaraju. Em cobrança de falta de Felipe Menezes, o zagueiro Luiz Otávio abriu o placar para os visitantes. Um minuto depois, ou seja, aos 24 minutos, Roberto Jacaré acertou a trave de Éverson e quase empatou para o Leão do Mercado.

A etapa complementar se iniciou com o goleiro Éverson fazendo difícil defesa em tirambaço de fora da área do artilheiro Leilson. No mais, o segundo tempo foi marcado por muitas faltas, cartões amarelos, e o Ceará - que levou nove cartões amarelos ao longo da partida - passou a administrar o resultado de 1 a 0 que lhe assegurava a liderança isolada da competição.

PRÓXIMOS JOGOS

Agora, o Guaraju volta a campo diante do Itapipoca, nesta quarta-feira, dia 22/02, às 20h20, no Perilão. O Ceará dá uma pausa no estadual e direciona suas atenções para o confronto ante o Flamengo, válido pela segunda rodada da Primeira Liga, dia 22/02, às 19h30, na Arena Castelão. Partida que marcará a estreia de Givanildo Oliveira como treinador alvinegro. 

FICHA TÉCNICA:

Guarani de Juazeiro 0 x 1 Ceará

Local: Romeirão

Data: 19/02

Hora: 17h

GUARANI DE JUAZEIRO: Fábio, Rafael Tchuca, Regineldo, Pedro Lucas, Zé Aquiraz, Dim (Emerson Catarina), Da Silva (Sadrak), Adenilson, Leilson, Ronda e Roberto Jacaré (Mattheus)

Técnico: Washington Luiz

CEARÁ: Everson, Tiago Cametá, Valdo, Luiz Otávio, Romário, Raul, Richardson, Felipe Menezes, Maxi Biancucchi (Rafinha), Nathan (Alex Amado) e Magno Alves (Lucas)

Técnico: Daniel Azambuja

GOLS: Luiz Otávio (CEA)

CARTÕES AMARELOS: Maxi Biancucchi (CSC), Richardson (CSC), Romário (CSC), Felipe Menezes (CSC), Raul (CSC), Luiz Otávio (CSC), Magno Alves (CSC), Tiago Cametá (CSC) e Everson (CSC) / Da Silva (GUJ), Dim (GUJ), Rafael Tchuca (GUJ) e Sadrak (GUJ)

Árbitro: Magno Cordeiro (CBF)

Assistente 1: Samuel Oliveira (CBF)

Assistente 2: Anderson Silveira (FCF)

4º árbitro: Ivanildo Bezerra (FIFA)

Renda: R$ 31.570,00

Público Pagante: 2.609

Não Pagante: 197

Público Total: 2.806

Em mais uma partida realizada no Domingão, o Maranguape venceu o Tiradentes pelo placar de 2 a 1. Na tarde deste sábado, o atacante Gugu e o goleiro Milton Buqueirão foram os grandes destaques no triunfo que tirou o Gavião da Serra da incômoda zona do rebaixamento. De quebra, a equipe ainda superou o próprio Tigre da PM na tabela de classificação. 

O jogo começou marcado por uma arbitragem confusa. O Maranguape chegou ao ataque com Harrisson, que rolou a bola para trás, Emerson furou, e sobrou para Gugu finalizar com força, a bola bateu no travessão e caiu dentro do gol. Inicialmente, o árbitro Rodrigues Júnior não validou o lance, mas acabou sendo salvo pela atenta assistente Carolina Romanholi.

Após polêmica de um lado, polêmica do outro. Dessa vez, em bola alçada na área, o zagueiro Maceió finalizou para as redes, mas o defensor adversário tirou com o braço; na sobra, Valdir Papel empurrou para o barbante. Qual a confusão? Após dar o gol para Maceió, o árbitro voltou atrás e o óbvio aconteceu: O tento foi computado para Valdir Papel.

Faltando dez minutos para acabar o primeiro tempo, o lateral Eduardo assustou Milton Buqueirão em arremate de fora da área. A bola passou muito perto.

Veio o segundo tempo e, com ele, novamente logo no início, o segundo tento de Gugu. Em cruzamento da direita de Paulinho, o artilheiro do Gavião da Serra dominou a bola com o pé direito, gingou para cima do marcador, puxou para o pé esquerdo e fuzilou sem chances para Jhones, que havia conquistado a titularidade do goleiro Alberto.

No transcorrer da segunda etapa, especialmente nos minutos finais, Milton Buqueirão foi bastante exigido pelo Tigre da PM. Além disso, ainda teve a sorte necessária para a posição de goleiro, como no chute cruzado do camisa 10, Alan, que parou na trave oposta. O árbitro assinalou 10 minutos de acréscimos, e Buqueirão demonstrava que não seria superado mesmo se a partida se arrastasse por horas ou dias. Uma jornada inesquecível, sem dúvidas. 

Com a vitória, o Maranguape chegou aos 8 pontos, saiu da penúltima colocação para ocupar a quinta posição. O Gavião da Serra volta a campo no dia 18/02, às 16h, no Domingão, para enfrentar o desesperado Guarany de Sobral. Enquanto isso, o Tiradentes perde a segunda partida seguida por 2 a 1, estaciona nos 7 pontos, na sexta posição, e buscará sua reabilitação frente ao Ferroviário, também no dia 18/02, às 16h, na Arena Castelão. 

 

FICHA TÉCNICA:

Maranguape 2 x 1 Tiradentes

Local: Domingão

Data: 11/02/2017

Hora: 16h

MARANGUAPE: Milton Buqueirão, Emerson, Jair (Rafael Sousa), Albano, Elvis, Rafael Bizinga, Anderson Paãn, Paulinho (Mateus), Harrisson (Raphinha), Gugu e Adilson

Técnico: Reginaldo França

TIRADENTES: Jhones, Eduardo, Maceió, Kelvin (Itaitinga), Bruno, Nanin, Diego (Ernesto), Jonatan (Lucas Neres), Alan, Jailton e Valdir Papel

Técnico: Sérgio Alves

GOLS: Gugu (2x) e Valdir Papel 

CARTÕES AMARELOS: Albano (Maranguape); Eduardo (Tiradentes); Rafael Bizinga (Maranguape); Harrisson (Maranguape); Emerson (Maranguape); Bruno (Tiradentes); Maceió (Tiradentes) e Milton Buqueirão (Maranguape)

Árbitro: Rodrigues Júnior

Assistente 1: Renan Aguiar

Assistente 2: Carolina Romanholi

4º árbitro: Sousa Filho

Público total: 193 pessoas

Renda: R$ 456,00

Banner Sky